Últimas Notícias
BBB 24: Marcus Vinicius fala sobre amor por Belém e revela novos planos para a carreira
Farinha está mais cara em Belém, e preço deve continuar subindo nos próximos meses, aponta Dieese
Saiba como não cair em golpe ao registrar marcas e patentes; assista
OAB-PA realiza ato público em apoio a advogada que se desentendeu com delegado, em Castanhal
Arouca x Famalicão: onde assistir ao vivo e o horário do jogo hoje (23/02) pelo Campeonato Português
Torcida do Remo pede ‘público zero’ contra o Águia, em meio crise
Saiba como ter acesso a absorventes gratuitos no Pará
Cosenza x Sampdoria: veja as escalações e o horário do jogo de hoje (23/02) pela Série B Italiana
PRF apreende 62 m³ de madeira ilegal, em Sapucaia/PA
PRF apreende aparelhos eletrônicos transportados ilegalmente, em Trairão/PA
Homem é preso por importunação sexual em Paragominas
Após resultados ruins e eliminação, torcida do Remo pede 'público zero' no jogo contra o Águia
Vídeo: viatura da PM colide com carro de passeio na Av. Senador Lemo, em Belém
Mais de 1,5 mil organizações sociais vão elaborar sugestões ao G20
Homem é encontrado morto no Distrito de Outeiro, em Belém
Next
Prev

‘A história continua’, diz Miranda após conquista do título paulista

Tricampeão brasileiro e titular indiscutível com Muricy Ramalho durante a sua primeira passagem no São Paulo, o zagueiro Miranda voltou a festejar mais um título a serviço do clube neste domingo no Campeonato Paulista. E o palco não poderia ser outro que não o velho e conhecido Morumbi.

"Estou sendo muito feliz nesta volta. Eu vim para tentar vencer de novo e já consegui alcançar esse objetivo no primeiro campeonato. Agora, precisamos dar continuidade para o trabalho. A história continua", afirmou o zagueiro.

Contratado para ajudar a tirar o time de um incômodo jejum, ele conseguiu não só anular o ataque palmeirense nos dois jogos da final, como ainda ajudou a liderar a equipe em mais uma decisão na sua vitoriosa carreira.

Prestes a completar 37 anos, Miranda foi um dos pilares da equipe ao lado do polivalente Daniel Alves. Profundamente identificado com o clube, o jogador passou para os companheiros a importância da retomada de títulos. Foi a primeira vez que o defensor conquistou um título como capitão.

"Tenho um carinho grande pelo São Paulo. Antes do jogo, eu recebi mensagens dos torcedores pedindo essa conquista. A gente precisava dar essa alegria para a torcida. A nossa torcida merece. A história continua", repetiu o capitão do São Paulo.

No seu retorno ao clube desde a transferência para o Atlético de Madrid, em 2011, o xerife são-paulino reencontrou um velho amigo que agora trabalha como coordenador de futebol: o ex-treinador Muricy Ramalho. Sob o seu comando, Miranda, antes desconhecido, se consolidou como grande zagueiro e esteve, inclusive, cotado para defender a seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010.

"Acabei escolhendo o São Paulo porque o Muricy me ligou. E a garantia dele de que o time voltaria a brigar por títulos foi o que motivou o meu retorno", explicou o defensor. Após a conquista, Muricy Ramalho foi visto chorando no banco de reservas.

No planejamento de formar um time vencedor, o recém-eleito presidente Julio Casares trouxe Miranda apostando também em sua bagagem internacional. E o entrosamento do zagueiro com as ideias do técnico Hernán Crespo aproximou ainda mais atleta e comandante. E nesse primeiro contato ele logo identificou semelhanças no estilo de trabalho do técnico são-paulino com um outro treinador argentino que o dirigiu no Atlético de Madrid: Diego Simeone, campeão espanhol nesta temporada.

"Eles têm a mesma agressividade de querer ganhar, uma mentalidade vencedora. A diferença é que o Crespo gosta de propor mais o jogo, jogar mais com a bola, enquanto o Simeone é mais defensivo. Mas os dois têm a metodologia do futebol argentino, que é de garra, de luta, de entrega. É isso que eles cobram da gente", comentou.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM