Últimas Notícias
Wesley Safadão inicia show cantando ‘virote’ e agita casa do BBB 24; assista
Milei discursa na abertura do Congresso argentino e chama parlamentares de ‘casta’
Lula e Maduro tratam de eleições na Venezuela no segundo semestre
Milei diz que enviará novos projetos de reforma ao Congresso argentino e ameaça parlamentares
Geraldo Alckmin socorre profissional de imprensa que passou mal durante coletiva em Manaus
Centro de Controle de Zoonoses realiza feira de adoção de cães e gatos neste sábado, em Belém; confira local
Convocado para a Seleção Brasileira, meia Andreas recusou convite para defender a Bélgica
Pará registra crescimento de 35% em empregos formais para mulheres
Centroavante do Paysandu quer garantir liderança isolada em jogo contra o Castanhal
Tiago Leifert deixa canal esportivo após colega defender Daniel Alves
Eleições 2024: TSE publica regras sobre uso de Inteligência Artificial
Mais países pedem investigação sobre tragédia em Gaza
Maduro se reúne com Lula na Cúpula da Celac e diz que eleições na Venezuela estão garantidas
PM da reserva morre baleado na Zona Leste de São Paulo
Influenciador repercute na internet com versões paraenses de hits internacionais; assista
Next
Prev

Anvisa autoriza estender tempo de armazenamento da vacina da Pfizer em refrigerador comum

NATÁLIA CANCIANBRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou nesta sexta-feira (28) mudanças nas condições de armazenamento da vacina da Pfizer contra a Covid-19. A medida permite manter o imunizante armazenado em temperatura de 2ºC a 8ºC por até 31 dias.

Antes, o tempo previsto de armazenamento nessa temperatura, que é equivalente a de um refrigerador comum, era de no máximo cinco dias.
Na prática, a mudança deve facilitar a distribuição da vacina no país.

O pedido para alterar as condições de armazenamento havia sido feito pela Pfizer na última sexta-feira (21). A solicitação ocorreu após a empresa obter autorização da agência regulatória europeia e de órgãos semelhantes em outros países.

Em nota, a Anvisa diz que, para aprovar as novas condições, avaliou novos estudos de estabilidade apresentados pelo laboratório, os quais definem por quanto tempo e em quais condições a vacina mantém suas características sem alteração. A mudança passa a constar no texto da bula da vacina.

Em geral, vacinas que usam a nova tecnologia chamada de mRNA, como a da Pfizer e a da Moderna, precisam de temperaturas muito baixas -entre -40ºC a -70°C- para se conservarem no longo prazo e têm critérios mais restritos de armazenamento após retiradas de ultracongeladores.

Atualmente, o Ministério da Saúde tem contratos para obter 200 milhões de doses de vacinas da Pfizer. Os acordos foram fechados após meses de negativas a propostas da empresa.

As primeiras entregas começaram em abril. Inicialmente, a distribuição ficou restrita a capitais. Aos poucos, tem sido ampliada para mais cidades.

Segundo informações divulgadas pelo Ministério da Saúde após as primeiras entregas, assim que recebidas, as doses ficam mantidas a uma temperatura de -90°C a -60°C no centro de distribuição, em Guarulhos (Grande SP).

Ao serem enviados aos estados, os imunizantes ficam expostos a temperatura de -20°C e, nas salas de vacinação, ficam guardadas em geladeiras comuns (de 2°C a 8°C) por cinco dias –prazo que poderá ser ampliado a partir de agora.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM