Últimas Notícias
Receita Federal apreende equipamentos médicos clandestinos no Aeroporto de Guarulhos
Uruguai decreta emergência agropecuária no leste por excesso hídrico
Jovem é decapitada durante acidente de trânsito em Paragominas, sudeste paraense
Homem é preso suspeito de transportar entorpecentes dentro de rede, em Juruti
Tornado nos EUA mata cinco e devasta estado de Iowa
Petrobras: Comitê de Pessoas diz que Magda Chambriard preenche requisitos para comandar empresa
Em Belém, Alckmin anuncia que ‘Brasil será oitava economia do mundo até o fim de 2024’; assista
Entenda a diferença entre 1º e 2º turnos e o que leva uma eleição para 2º turno
Demapa investiga morte de 7 gatos por suposto envenenamento em Belém
Devotos lotam Paróquia em celebração de Santa Rita de Cássia no bairro de Canudos, em Belém; assista
Egito ameaça deixar de ser mediador de acordo para cessar-fogo em Gaza
Marido de cantora gospel brasileira é preso nos EUA por abuso sexual contra criança 
Com mudanças na defesa, Paysandu está escalado para a final da Copa Verde contra o Vila Nova-GO
Alepa aprova Projeto que altera o Programa Estadual de Transporte Escolar no Pará
Mortos pela chuva no RS chegam a 162, diz Defesa Civil
Next
Prev

Com reforços, Flamengo tenta conter desgaste sobre Ceni contra Atlético-MG

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – A derrota por 1 a 0 no clássico diante do Fluminense no último domingo (4) trouxe uma dose extra de pressão ao técnico Rogério Ceni no comando do Flamengo, que vê o desgaste crescer na Gávea.

O cargo do treinador não está ameaçado no momento, mas Ceni queimou alguns créditos junto à diretoria no Fla-Flu. Durante o jogo, suas mexidas tornaram o time rubro-negro mais vulnerável e permitiram que o rival crescesse. Já após a partida, o tom mais alto na entrevista coletiva não agradou.

A seu favor, Rogério tem os títulos recentes e a boa avaliação do departamento de futebol, que entende que o momento é dificultado pela ausência de alguns dos principais nomes da equipe. Apesar do atenuante, a observação é contínua.

"Temos muitos jogadores na seleção. Jogávamos com quatro camisas 10 no meio. Um foi vendido [Gerson], outro se machucou [Diego], e dois estão na Copa América [Arrascaeta e Everton Ribeiro]. Tivemos que mudar a maneira de jogar", justificou Ceni.

Em tempos de resultados não satisfatórios dentro das quatro linhas, o comandante começa ao menos a vislumbrar um cenário melhor para os desafios que se apresentam. Com suas seleções eliminadas da Copa América, Isla, Piris da Motta e Arrascaeta voltaram a trabalhar na segunda-feira (5) e devem pintar na equipe que encara o Atlético-MG nesta quarta (7), às 19h, no Mineirão, pelo Brasileiro.

Enquanto não tem todas suas peças à disposição, Rogério aguarda os sonhados reforços. A direção rubro-negra, que trabalha com cautela, segue de olho em ao menos dois nomes de peso.

Embora não tenha havido nenhuma evolução recentes nas negociações, Thiago Mendes, Renato Augusto e Kenedy seguem na lista rubro-negra, e a tendência é que as conversas avancem nas próximas semanas. Até receber os presentes desejados, o treinador terá que encontrar soluções dentro de casa.

"Queremos sempre vencer. Nem fazemos contas dos jogadores que estão fora, dos desfalques ou não. O Flamengo quer sempre vencer. No ano passado, ganhamos o campeonato por um ponto, e cada ponto deixado para trás é muito importante", disse ele.

Após três derrotas nos últimos cinco jogos, os atuais campeões encaram o Atlético em jogo com ares de decisão. O time mineiro, vem de duas vitórias seguidas, também estará reforçado por atletas que estiveram no torneio de seleções, Junior Alonso e de Eduardo Vargas no caso.

Com 12 pontos, quatro a menos que o Atlético, o Flamengo é o décimo colocado, enquanto o adversário mineiro ocupa a quarta posição da tabela.

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Horário: 19h (de Brasília) desta quarta-feira (7)

Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)

VAR: Adriano Milczvski (PR)

Transmissão: Premiere

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM