Últimas Notícias
Três pessoas são presas em operação contra o tráfico de drogas no Acará
Com bela atuação, seleção masculina derrota Sérvia por 3 sets a 1 na Liga das Nações de Vôlei
Noiva surpreende e distribui doces para alunos de academia em Capitão Poço, no Pará; assista
Departamento de Estado dos EUA aprova possível venda de helicópteros Black Hawk ao Brasil, diz Pentágono
Milton Neves se desculpa após postar foto fake de Jojo Todynho nua; ouça
Justiça concede divórcio de Ana Hickmann e Alexandre Correa
Polícia prende homem que atacou acampamento pró-Palestina por agressão
Jogador de destaque na La Liga atuou com caco de vidro no pé por dois anos; entenda
Aviões militares chineses cruzam Estreito de Taiwan, diz defesa taiwanesa
CRM anuncia 'medidas cabíveis' após médico expulsar mãe e filho autista de consultório em Belém
Copa América contará com mulheres no apito pela 1ª vez na história e terá 11 brasileiros
Paraense de Capanema compartilha vida no Japão e diferenças de preços em alimentação; assista
Conflito em Gaza: relembre propostas do Brasil para fim da guerra
CNU: adiamento da prova serve para focar na preparação, dizem professores
Embaixador brasileiro não voltará ao cargo após ser humilhado em Israel, diz Celso Amorim
Next
Prev

Djokovic fala sobre campanha em Wimbledon: ‘Recordes me inspiram a jogar melhor’

Todos sabem que o tenista sérvio Novak Djokovic é movido por recordes. Em Wimbledon, o número 1 do mundo tem a chance de conquistar o 20.º Grand Slam de sua carreira profissional, igualando os principais rivais, que são o suíço Roger Federer e o espanhol Rafael Nadal. De quebra, pode dar mais um passo em busca da rara marca de vencer todos os quatro torneios do Grand Slam no mesmo ano. Até por isso, garante que a luta por feitos históricos é uma de suas principais fontes de motivação.

"É claro que os recordes são um fator motivador. Não estou ciente de todos, mas sei que há muitos que eu posso alcançar e eles me inspiram a jogar meu melhor tênis", disse Djokovic. "Obviamente, eu sempre gosto de ouvir essas estatísticas. É um privilégio bater recordes no esporte que amo de verdade. Sou dedicado a este esporte tanto quanto qualquer outra pessoa que esteja no circuito e apenas tento fazer o meu melhor".

A tranquila vitória por 3 sets a 0 sobre o chileno Cristian Garin, pelas oitavas de final, na segunda-feira, também traz bastante confiança. "Estou muito feliz. Principalmente porque a partida da terceira rodada (contra o americano Denis Kudla) teve alguns altos e baixos. Foi uma exibição muito sólida do primeiro ao último ponto. Eu estava mentalmente presente, sacando bem melhor e usando bem a quadra", disse.

"Me senti confortável e isso provavelmente está afetando o jogo em geral", avaliou o líder do ranking da ATP, que não teve o serviço quebrado na partida e só enfrentou dois break-points. "Quando sou capaz de sacar bem e ganhar muitos pontos de graça com o meu primeiro serviço e passo rapidamente pelos meus jogos de saque, isso apenas me dá mais confiança e me permite relaxar um pouco mais nos games de devolução e também no meu jogo de fundo de quadra".

Nesta quarta-feira, em busca de um lugar na 41.ª semifinal de Grand Slam de sua carreira, Djokovic enfrenta o húngaro Marton Fucsovics, 48.º do ranking, que chega com moral depois de ter vencido o cabeça 5 russo Andrey Rublev. O sérvio venceu os dois duelos anteriores contra o rival da Hungria no circuito profissional.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM