Últimas Notícias
Wesley Safadão inicia show cantando ‘virote’ e agita casa do BBB 24; assista
Milei discursa na abertura do Congresso argentino e chama parlamentares de ‘casta’
Lula e Maduro tratam de eleições na Venezuela no segundo semestre
Milei diz que enviará novos projetos de reforma ao Congresso argentino e ameaça parlamentares
Geraldo Alckmin socorre profissional de imprensa que passou mal durante coletiva em Manaus
Centro de Controle de Zoonoses realiza feira de adoção de cães e gatos neste sábado, em Belém; confira local
Convocado para a Seleção Brasileira, meia Andreas recusou convite para defender a Bélgica
Pará registra crescimento de 35% em empregos formais para mulheres
Centroavante do Paysandu quer garantir liderança isolada em jogo contra o Castanhal
Tiago Leifert deixa canal esportivo após colega defender Daniel Alves
Eleições 2024: TSE publica regras sobre uso de Inteligência Artificial
Mais países pedem investigação sobre tragédia em Gaza
Maduro se reúne com Lula na Cúpula da Celac e diz que eleições na Venezuela estão garantidas
PM da reserva morre baleado na Zona Leste de São Paulo
Influenciador repercute na internet com versões paraenses de hits internacionais; assista
Next
Prev

Doria sanciona lei para pagar auxílio de até R$ 500 em SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A sanção do governador João Doria (PSDB) à lei que cria o programa Bolsa do Povo em São Paulo foi publicada nesta quinta-feira (27) no "Diário Oficial do Estado".

O programa prevê o pagamento de benefícios de até R$ 500 para cerca de 500 mil pessoas em todo o estado, segundo o governo paulista.

Para 2021, estão previstos R$ 1 bilhão em recursos para o Bolsa do Povo.

A iniciativa tem a finalidade de concentrar a gestão de benefícios, ações e projetos para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

O Bolsa do Povo irá incorporar os programas Renda Cidadã, Via Rápida, Bolsa-Trabalho, Ação Jovem, Bolsa Talento Esportivo e o auxílio-moradia emergencial (Aluguel Social).

O programa Bolsa-Trabalho poderá chegar a um salário mínimo, com jornada fixada entre 4 a 8 horas por dia, cinco dias na semana.

Também há a previsão de contratação de mães e pais nas escolas, além da contratação de agentes de apoio na Saúde.

O projeto prioriza mulheres vítimas de violência doméstica ou mães que são arrimo da família (monoparentais) para o recebimento dos benefícios sociais.

Fonte: Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM