Últimas Notícias
Copa do Brasil: contra o Ji-Paraná, Paysandu quer reduzir erros cometidos no Parazão, diz lateral
Lula revoga trecho de MP e mantém desoneração a 17 setores da economia
Hospital de Clínicas, em Belém, oferece cursos de formação em saúde com certificação internacional; confira calendário
Andaime desaba e três pessoas ficam feridas em shopping de Curitiba (PR)
Dirigentes do Remo teriam procurado atleta do Águia antes da partida, revela executivo marabaense
Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão contra receptação de celulares, em Marabá
Podzão debate empate do Paysandu e recuperação do Remo no Parazão; assista
Marcílio Dias x Vasco: onde assistir ao vivo e horário do jogo hoje (27) pela Copa do Brasil
5 receitas práticas e leves com frango para o jantar
Seduc divulga critérios para participação no programa ‘Bora Estudar’
PF captura três foragidos condenados por crimes sexuais no Pará
PM de Marabá captura foragido do sistema prisional após denúncia
Em onda de violência, população do Equador sofre com abusos militares
Homem furta refletor de obra do BRT na BR-316, em Ananindeua; assista
Sebrae oferece capacitação a empreendedores do turismo local
Next
Prev

Efetividade da Coronavac varia de 28% a 62% entre maiores de 70, diz pesquisa

Um estudo feito pelo Vebra Covid-19, que reúne cientistas de instituições nacionais e internacionais, mostrou que a Coronavac se mostrou 42% efetiva em prevenir adoecimento por Covid-19 em pessoas maiores de 70 anos depois de 14 dias da segunda dose.

É uma efetividade menor do que a eficácia global encontrada nos estudos clínicos realizados pelo Instituto Butantan no Brasil, de 50,7%.
Quando dividido por faixa etária dentro do grupo, a efetividade foi ainda menor entre os que têm mais de 80 anos, 28% depois da aplicação da segunda dose.

Entre os que têm de 75 a 79 anos, ela foi de 49%. E entre os que têm de 70 a 74 anos, de 62% depois da segunda dose -um índice superior ao da eficácia global do estudo divulgado pelo Butantan.

A efetividade estudada agora pelo Vebra Covid-19 mostra o impacto real da vacinação na redução de casos de infecção pelo novo coronavírus. Ou seja, ela revela como a vacina funciona quando aplicada na população geral.

Para chegar aos resultados e verificar o impacto real da vacinação na redução de casos (ou seja, a efetividade do imunizante), os cientistas pesquisaram os resultados de testes para a Covid-19 de todos os bancos de dados da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.

O estudo envolveu 15.900 pessoas suspeitas de Covid-19 com mais de 70 anos que moram em São Paulo, onde a variante P.1 é predominante.
Os exames foram feitos em pessoas com sintomas da doença e que buscaram as unidades para fazer o teste e confirmar se estavam ou não infectadas.

"Com o aumento da idade, houve uma redução da efetividade da Coronavac. Esse fenômeno ocorre na vacina influenza e é esperado que ocorra em outras vacinas", diz a nota de divulgação do estudo.
A informação de que isso ocorria, de acordo com dados iniciais do estudo, foi antecipada pelo jornal Folha de S.Paulo.

O Vebra Covid-19 é formado por pesquisadores da Fiocruz, das universidades norte-americanas de Stanford, Yale e Flórida, da UnB (Universidade de Brasília), do Instituto de Saúde Global de Barcelona e da Secretaria de Saúde de SP.

É importante considerar que a pesquisa não revela o que aconteceu depois que as pessoas fizeram o teste -se seguiram com sintomas leves ou se a doença agravou.

Dados de outros trabalhos indicam que a Coronavac pode estar ajudando a prevenir hospitalizações e mortes.

A proporção de mortos por Covid-19 entre os maiores de 80 anos, faixa etária com a vacinação contra a doença em etapa avançada, caiu quase 60% entre janeiro e abril no Brasil. Os dados são de levantamento feito pela Folha de S.Paulo no Sistema de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde.

O Instituto Butantan enviou uma nota à reportagem afirmando que a Coronavac é segura e eficaz para a população adulta, incluindo idosos, e citou dados de estudo da prefeitura de São Paulo que mostram que, em abril, houve queda de 90% no número de mortes por Covid-19 entre pessoas com idade acima de 90 anos.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM