Últimas Notícias
Três pessoas são presas em operação contra o tráfico de drogas no Acará
Com bela atuação, seleção masculina derrota Sérvia por 3 sets a 1 na Liga das Nações de Vôlei
Noiva surpreende e distribui doces para alunos de academia em Capitão Poço, no Pará; assista
Departamento de Estado dos EUA aprova possível venda de helicópteros Black Hawk ao Brasil, diz Pentágono
Milton Neves se desculpa após postar foto fake de Jojo Todynho nua; ouça
Justiça concede divórcio de Ana Hickmann e Alexandre Correa
Polícia prende homem que atacou acampamento pró-Palestina por agressão
Jogador de destaque na La Liga atuou com caco de vidro no pé por dois anos; entenda
Aviões militares chineses cruzam Estreito de Taiwan, diz defesa taiwanesa
CRM anuncia 'medidas cabíveis' após médico expulsar mãe e filho autista de consultório em Belém
Copa América contará com mulheres no apito pela 1ª vez na história e terá 11 brasileiros
Paraense de Capanema compartilha vida no Japão e diferenças de preços em alimentação; assista
Conflito em Gaza: relembre propostas do Brasil para fim da guerra
CNU: adiamento da prova serve para focar na preparação, dizem professores
Embaixador brasileiro não voltará ao cargo após ser humilhado em Israel, diz Celso Amorim
Next
Prev

Evite! Os efeitos negativos dos refrigerantes no metabolismo

Não é novidade dizer que os refrigerantes fazem mal. A bebida tem vindo a ser associada a um maior risco de obesidade e vários outros problemas de saúde. Porém, como explica a Eat This, Not That!, a aumento de peso que resulta do consumo de refrigerantes não se deve apenas ao excesso de calorias do açúcar. Em parte, também pode ter a ver com a forma como os açúcares do refrigerante afetam o seu metabolismo.

É que os açúcares adicionados podem realmente desacelerar o metabolismo. Falamos, mais concretamente, da frutose, o açúcar frequentemente usado em refrigerantes.

Um estudo de 2012 mostrou que as pessoas que bebiam bebidas adoçadas com frutose diminuíram significativamente o número de calorias que queimavam diariamente, ou seja, o metabolismo desacelerou, em comparação com pessoas que não consumiam bebidas adoçadas com frutose.

Quando a frutose passa pelo sistema digestivo, ela vai para o fígado, onde é convertida em gordura. Isso aumenta os níveis de triglicerídeos. Tanto o aumento de peso devido ao excesso de calorias em refrigerantes quanto os altos níveis de triglicerídeos devido ao excesso de frutose fazem parte da síndrome metabólica. Esse conjunto de sintomas metabólicos aumenta o risco de doenças cardíacas, diabetes e derrame.

Fonte: Notícia ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM