Últimas Notícias
BBB 24: Marcus Vinicius fala sobre amor por Belém e revela novos planos para a carreira
Farinha está mais cara em Belém, e preço deve continuar subindo nos próximos meses, aponta Dieese
Saiba como não cair em golpe ao registrar marcas e patentes; assista
OAB-PA realiza ato público em apoio a advogada que se desentendeu com delegado, em Castanhal
Arouca x Famalicão: onde assistir ao vivo e o horário do jogo hoje (23/02) pelo Campeonato Português
Torcida do Remo pede ‘público zero’ contra o Águia, em meio crise
Saiba como ter acesso a absorventes gratuitos no Pará
Cosenza x Sampdoria: veja as escalações e o horário do jogo de hoje (23/02) pela Série B Italiana
PRF apreende 62 m³ de madeira ilegal, em Sapucaia/PA
PRF apreende aparelhos eletrônicos transportados ilegalmente, em Trairão/PA
Homem é preso por importunação sexual em Paragominas
Após resultados ruins e eliminação, torcida do Remo pede 'público zero' no jogo contra o Águia
Vídeo: viatura da PM colide com carro de passeio na Av. Senador Lemo, em Belém
Mais de 1,5 mil organizações sociais vão elaborar sugestões ao G20
Homem é encontrado morto no Distrito de Outeiro, em Belém
Next
Prev

Guedes nega saída do Mercosul, mas diz que Brasil quer modernizar o bloco

O ministro da Economia, Paulo Guedes, repetiu nesta quinta-feira que o governo brasileiro não quer deixar o Mercosul, mas sim modernizar o bloco. "Nós não vamos sair do Mercosul. Queremos continuar a integração, mas não está funcionando como deveria. Queremos fazer a modernização do Mercosul", afirmou, em participação em evento realizado pela Coalizão Indústria.

Guedes avaliou que o carro elétrico ou movido a hidrogênio é uma ameaça à indústria automobilística tradicional, citando o crescimento da Tesla. "O setor está sendo apertado no mundo inteiro. A Ford deixou o Brasil não por causa do governo, mas porque está em dificuldades no mundo todo", completou.

Para o ministro, a indústria automotiva brasileira já foi um grande foco de crescimento, acabou encurralada.

Segundo ele, montadoras deixam o Brasil por questões estruturais. "Gradualmente a indústria automotiva no Brasil foi se enrijecendo e se limitou à nossa vizinhança, que é importante. Mas nós é que tínhamos que vender automóvel para a Coreia. Começamos a produzir antes deles", acrescentou.

Guedes lembrou que a situação da pandemia na América Latina atualmente impede a negociação de novos acordos automotivos. "Se fomos procurar a Argentina agora para falar disso, nem seremos recebidos", concluiu.

Fonte: Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM