Últimas Notícias
BBB 24: Marcus Vinicius fala sobre amor por Belém e revela novos planos para a carreira
Monica Iozzi detona Neymar por doar dinheiro a Daniel Alves: ‘nojento’; assista
Farinha está mais cara em Belém, e preço deve continuar subindo nos próximos meses, aponta Dieese
Saiba como não cair em golpe ao registrar marcas e patentes; assista
OAB-PA realiza ato público em apoio a advogada que se desentendeu com delegado, em Castanhal
Arouca x Famalicão: onde assistir ao vivo e o horário do jogo hoje (23/02) pelo Campeonato Português
Torcida do Remo pede ‘público zero’ contra o Águia, em meio crise
Saiba como ter acesso a absorventes gratuitos no Pará
Cosenza x Sampdoria: veja as escalações e o horário do jogo de hoje (23/02) pela Série B Italiana
PRF apreende 62 m³ de madeira ilegal, em Sapucaia/PA
PRF apreende aparelhos eletrônicos transportados ilegalmente, em Trairão/PA
Homem é preso por importunação sexual em Paragominas
Após resultados ruins e eliminação, torcida do Remo pede 'público zero' no jogo contra o Águia
Vídeo: viatura da PM colide com carro de passeio na Av. Senador Lemo, em Belém
Mais de 1,5 mil organizações sociais vão elaborar sugestões ao G20
Next
Prev

Latam diz que não quer vender operação brasileira à Azul

O grupo Latam não pretende se desfazer de sua operação brasileira, de acordo com o presidente da empresa no Brasil, Jerome Cadier. "Não há nenhuma intenção de separar a operação Brasil do grupo. A força da Latam está na complementaridade das operações (nos diferentes países). Separar não faz sentido econômico para o grupo", disse o executivo ao Estadão.

A declaração foi feita após a Azul divulgar, na noite de segunda-feira, nota em que afirma que a consolidação do setor é uma "tendência" no pós-pandemia e que está em "uma posição forte para conduzir um processo nesse sentido", em uma sinalização de que está interessada em comprar a concorrente.

Também na segunda-feira, a Latam anunciou que encerrou o acordo de compartilhamento de voos com a Azul. A parceria havia sido firmada no ano passado, no pior momento da crise para o setor. A ideia era que ela ajudasse as empresas a alavancar as receitas.

Cadier voltou a dizer, ontem, que o acordo foi encerrado porque ficou aquém das expectativas. Afirmou ainda que não houve conversas para vender a empresa.

No ano passado, quando as duas empresas se uniram no acordo de compartilhamento de voos – e com a Latam em recuperação judicial nos Estados Unidos -, já circulava no mercado a informação de que a Azul queria ficar com uma parte de sua concorrente. Uma eventual aquisição, no entanto, poderia enfrentar resistência no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), pois a empresa resultante concentraria mais de 60% do mercado.

A Latam afirma que está voltando a crescer no Brasil. Apesar de março e abril terem sido meses difíceis, a companhia percebeu uma melhora em maio e projeta estar operando com 90% da capacidade em dezembro, na comparação com o mesmo mês de 2019. No mês passado, a aérea operou com 38% e, agora, está com 49%.

De acordo com Cadier, a empresa pretende contratar 750 tripulantes até dezembro – no ano passado, 2,7 mil foram demitidos -, ampliar a frota de cargueiros de 11 para 21 e receber mais sete aviões para o transporte doméstico de passageiros.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM