Últimas Notícias
Seduc divulga critérios para participação no programa ‘Bora Estudar’
PF captura três foragidos condenados por crimes sexuais no Pará
Em onda de violência, população do Equador sofre com abusos militares
Homem furta refletor de obra do BRT na BR-316, em Ananindeua; assista
Sebrae oferece capacitação a empreendedores do turismo local
Paysandu inicia venda de ingressos para partida contra o Castanhal, pelo Parazão
Joe Biden diz que informação sobre apoio de Taylor Swift é “confidencial”
FPF define data e horário da última rodada da primeira fase do Parazão; confira
Frutas brasileiras previnem doenças crônicas e problemas no intestino, diz estudo
BR-316 passa por intervenções nos dois sentidos da via até a próxima sexta (1º); veja as alterações
Ministro diz que é "falácia" envio de ativos russos para Ucrânia
Suspeitos entram em academia para roubar aluno em Fortaleza (CE); veja vídeo
Internautas do Roma News apostam na saída de Rodriguinho do BBB24
Professor é morto a tiros ao desembarcar em rodoviária de Parauapebas
Athletic Club x Volta Redonda: onde assistir ao vivo e horário do jogo hoje (27) pela Copa do Brasil
Next
Prev

Mais de dois anos após acidente, corpo é identificado em Brumadinho (MG)

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) – Mais de dois anos depois do rompimento da barragem de Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho (MG), foi identificado mais um corpo de uma vítima, Renato Eustáquio de Sousa, quue tinha 34 anos e trabalhava como soldador da mineradora.

A localização dos restos que possibilitaram a identificação ocorreu em janeiro de 2021.

O acidente, em 25 de janeiro de 2019, provocou a morte de 270 pessoas, sendo que 10 corpos ainda não foram encontrados. A última identificação de vítima havia acontecido em 28 de dezembro de 2019.

"Um alento para as famílias das vítimas de Brumadinho: foi identificada hoje mais uma joia. Que Deus conforte os familiares. Não vamos perder as esperanças", disse o governador Romeu Zema (Novo). Joia é como Zema e familiares das vítimas se referem aos corpos ainda não localizados depois da tragédia no município da Grande Belo Horizonte.

"Estamos muito emocionados", afirmou à reportagem, chorando muito, a irmã do soldador, Angélica Maria de Sousa. A moça preferiu não fazer outros comentários sobre o anúncio da identificação do corpo do irmão.

As buscas por corpos em Brumadinho foram suspensas em 21 de março do ano passado, por causa da pandemia do novo coronavírus, e retomadas pouco mais de cinco meses depois, em 27 de agosto.

A área vasculhada tem volume de 11 milhões de m3 de lama, o que equivale a 4.400 piscinas olímpicas. Todos os dias, 60 integrantes do contingente do Corpo de Bombeiros atuam na localização das vítimas. Na fase inicial, o número era bem maior, chegando a 300.

A estratégia adotada nas buscas mudou. Antes o trabalho, em sua maior parte, era feito de forma manual. Agora há a utilização de máquinas, sobretudo retroescavadeiras.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM