Últimas Notícias
Negociações sobre acordo UE-Mercosul serão suspensas até eleições do Parlamento Europeu
Tornado atinge casas e provoca prejuízos em Alagoas
PRF apreende dez toras de madeira ilegal, em São Miguel do Guamá, nordeste paraense
Dinâmica da semana do BBB 24 tem Poder da Palavra; confira a agenda
Pep Guardiola expressa vontade de treinar seleção: ‘Gostaria de disputar uma Copa do Mundo’
Ex- Paysandu, atacante fecha com adversário do Remo na Série C de 2024
MP diz que crimes sexuais no Pará estão acima da média e nega tráfico de órgãos no Marajó
BBB 24: Marcus Vinicius fala sobre amor por Belém e revela novos planos para a carreira
Monica Iozzi detona Neymar por doar dinheiro a Daniel Alves: ‘nojento’; assista
Farinha está mais cara em Belém, e preço deve continuar subindo nos próximos meses, aponta Dieese
Saiba como não cair em golpe ao registrar marcas e patentes; assista
OAB-PA realiza ato público em apoio a advogada que se desentendeu com delegado, em Castanhal
Arouca x Famalicão: onde assistir ao vivo e o horário do jogo hoje (23/02) pelo Campeonato Português
Torcida do Remo pede ‘público zero’ contra o Águia, em meio crise
Saiba como ter acesso a absorventes gratuitos no Pará
Next
Prev

Saúde pedirá à Anvisa autorização para importar vacina indiana Covaxin

O Ministério da Saúde fará um novo pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de autorização para importar a vacina indiana Covaxin. Segundo apurou o Estadão/Broadcast (serviço online do Grupo Estado), a expectativa da pasta é que, desta vez, a autorização emergencial seja concedida pelo órgão, o que permitirá trazer ao Brasil os 20 milhões de doses já compradas do imunizante ainda neste mês.

No dia 31 de março, a Anvisa rejeitou pedido semelhante da Saúde para autorização "excepcional e temporária" para importação e distribuição da vacina Covaxin, imunizante produzido pelo laboratório Bharat Biotech, da Índia. Na época da recusa, a agência afirmou que os dados apresentados sobre a vacina não comprovaram a "qualidade e eficácia" do imunizante. No dia anterior, a agência já havia indeferido o pedido de certificação das fábricas do laboratório Bharat Biotech. Os diretores reforçaram que a equipe da Anvisa enviada ao país da farmacêutica identificou inconformidades no processo de fabricação e que, pelos dados apresentados, aceitar a Covaxin naquele momento seria um risco.

Segundo o Broadcast apurou, a avaliação no governo brasileiro é de que o quadro mudou em relação à vacina e que os problemas apontados pela Anvisa foram superados e o imunizante já poderá ser aprovado. O argumento é reforçado pelo fato de que no dia 13 de maio a própria Anvisa autorizou os estudos da Fase 3 – a última antes da autorização para uso – com 4,5 mil pessoas no Brasil, que estão sendo conduzidos pelo Hospital Albert Einstein, de São Paulo.

Se a aprovação da Anvisa sair em até uma semana, o laboratório indiano indicou que poderá mandar os 20 milhões de doses contratadas até o fim de maio, em duas cargas de 10 milhões de unidades cada.

Eficácia

De acordo com o laboratório, estudos mostraram que a eficácia em geral da vacina indiana foi de 78%, segundo dados preliminares, com 100% de eficácia para evitar casos graves do novo coronavírus.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM