Últimas Notícias
Copa do Brasil: contra o Ji-Paraná, Paysandu quer reduzir erros cometidos no Parazão, diz lateral
Lula revoga trecho de MP e mantém desoneração a 17 setores da economia
Hospital de Clínicas, em Belém, oferece cursos de formação em saúde com certificação internacional; confira calendário
Andaime desaba e três pessoas ficam feridas em shopping de Curitiba (PR)
Dirigentes do Remo teriam procurado atleta do Águia antes da partida, revela executivo marabaense
Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão contra receptação de celulares, em Marabá
Podzão debate empate do Paysandu e recuperação do Remo no Parazão; assista
Marcílio Dias x Vasco: onde assistir ao vivo e horário do jogo hoje (27) pela Copa do Brasil
5 receitas práticas e leves com frango para o jantar
Seduc divulga critérios para participação no programa ‘Bora Estudar’
PF captura três foragidos condenados por crimes sexuais no Pará
PM de Marabá captura foragido do sistema prisional após denúncia
Em onda de violência, população do Equador sofre com abusos militares
Homem furta refletor de obra do BRT na BR-316, em Ananindeua; assista
Sebrae oferece capacitação a empreendedores do turismo local
Next
Prev

Sírio Libanês relata 23% mais casos em uma semana

O número de casos de covid-19 voltou a aumentar, após o período de flexibilização ao redor do Dia das Mães. No Hospital Sírio Libanês, o aumento nesta segunda-feira, 24, na comparação com o dia 17, foi de 23%, saltando de 141 casos para 174 em uma semana. A taxa de ocupação geral do hospital, que inclui casos que não são de infecção pelo vírus, passou de 75% para 89%.

Gerente de Práticas Médicas do hospital, Felipe Duarte diz que há uma tendência de aumento de casos, mas o quadro ainda não está sendo tratado como a chegada de uma terceira onda. "Já passamos por variações de números de pacientes e isso pode não significar nada."

Ele explica que o momento é de observação do cenário antes de tomar medidas, como converter leitos de enfermaria em UTI, por exemplo.

"Nossas unidades estão tentando absorver bem esses pacientes. Em um eventual aumento, pela tendência dos últimos dias, vamos mobilizar planos que já fizemos no passado e acolher esses pacientes e os sem suspeita de covid. Estamos em um momento mais de observar do que de agir", diz. "O perfil de pacientes críticos continua seguindo a tendência de queda das faixas etárias, ficando em torno dos 40 e 50 anos, até porque pessoas mais velhas já foram vacinadas."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM