Últimas Notícias
Três pessoas são presas em operação contra o tráfico de drogas no Acará
Com bela atuação, seleção masculina derrota Sérvia por 3 sets a 1 na Liga das Nações de Vôlei
Noiva surpreende e distribui doces para alunos de academia em Capitão Poço, no Pará; assista
Departamento de Estado dos EUA aprova possível venda de helicópteros Black Hawk ao Brasil, diz Pentágono
Milton Neves se desculpa após postar foto fake de Jojo Todynho nua; ouça
Justiça concede divórcio de Ana Hickmann e Alexandre Correa
Polícia prende homem que atacou acampamento pró-Palestina por agressão
Jogador de destaque na La Liga atuou com caco de vidro no pé por dois anos; entenda
Aviões militares chineses cruzam Estreito de Taiwan, diz defesa taiwanesa
CRM anuncia 'medidas cabíveis' após médico expulsar mãe e filho autista de consultório em Belém
Copa América contará com mulheres no apito pela 1ª vez na história e terá 11 brasileiros
Paraense de Capanema compartilha vida no Japão e diferenças de preços em alimentação; assista
Conflito em Gaza: relembre propostas do Brasil para fim da guerra
CNU: adiamento da prova serve para focar na preparação, dizem professores
Embaixador brasileiro não voltará ao cargo após ser humilhado em Israel, diz Celso Amorim
Next
Prev

Universidade de Oxford vai testar vacina contra Covid-19 aplicada como spray nasal; voluntários receberão até R$ 3,2 mil

Se aprovada, a vacina será a primeira contra a Covid a ser dada a humanos pelo nariz. Participantes devem ter de 18 a 55 anos de idade e precisam morar a menos de uma hora de distância da universidade, que fica no Reino Unido. Profissional da saúde prepara dose da vacina AstraZeneca/Oxford em hospital de BrasíliaUeslei Marcelino/ReutersA Universidade de Oxford vai testar uma nova versão de sua vacina contra a Covid-19, que será aplicada como spray nasal. Serão 54 voluntários selecionados, que receberão até 445 libras (cerca de R$ 3,2 mil) pela participação, de acordo com a quantidade de doses que receberem.Se aprovada, a vacina será a primeira contra a Covid a ser dada a humanos pelo nariz. O imunizante é o mesmo que já foi desenvolvido pela universidade em parceria com a empresa AstraZeneca (veja vídeo).Que vacina é essa? Oxford AstrazenecaPara participar, é preciso ter de 18 a 55 anos de idade e morar a menos de uma hora de distância da universidade, que fica no Reino Unido. O voluntário também não pode ter sido vacinado para a Covid ou ter tomado uma vacina de vetor viral (vacinas contra o ebola usam essa mesma tecnologia).A nova versão da vacina pode "melhorar a proteção contra infecção e transmissão e tem a vantagem de não exigir agulha", explica a universidade no anúncio do recrutamento.(Mas as agulhas não serão completamente eliminadas da pesquisa; os voluntários precisarão fazer exames de sangue. Veja detalhes mais abaixo).O principal objetivo das vacinas contra a Covid hoje é evitar casos graves e mortes pela doença, mas vários estudos já apontam que elas são capazes de evitar também a transmissão.Como serão os testesEntenda como funcionam os testes da vacina contra CovidO ensaio vai durar em torno de 4 meses – durante os quais os voluntários farão testes de cotonete (no nariz) e exames de sangue. Os participantes deverão visitar a universidade de 7 a 10 vezes nesse período; o valor recebido tem por objetivo reembolsar os custos e o tempo gasto pelos participantes.Além dos exames, também serão coletadas informações sobre sintomas pós-vacinação. As pessoas serão alocadas aleatoriamente para receber uma ou duas doses da vacina (quem receber apenas uma dose terá um reembolso de 325 libras, cerca de R$ 2,3 mil).A depender da disponibilidade, as pessoas vão receber uma dosagem mais baixa, intermediária – que equivale à da versão injetável – ou mais alta da vacina em cada aplicação."Ao participar, você dará uma importante contribuição ao conhecimento que poderá auxiliar no desenvolvimento de uma nova via de administração para a vacina da Covid-19. Esta via pode permitir uma administração mais fácil da vacina, sem agulhas, e ser mais eficaz no bloqueio da disseminação da Covid-19. Esse conhecimento melhoraria a situação econômica e de saúde de milhões de pessoas", destaca a universidade.Os voluntários também podem desistir de participar a qualquer instante.Tire dúvidas sobre as vacinas contra a Covid-19:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM