Últimas Notícias
Wesley Safadão inicia show cantando ‘virote’ e agita casa do BBB 24; assista
Milei discursa na abertura do Congresso argentino e chama parlamentares de ‘casta’
Lula e Maduro tratam de eleições na Venezuela no segundo semestre
Milei diz que enviará novos projetos de reforma ao Congresso argentino e ameaça parlamentares
Geraldo Alckmin socorre profissional de imprensa que passou mal durante coletiva em Manaus
Centro de Controle de Zoonoses realiza feira de adoção de cães e gatos neste sábado, em Belém; confira local
Convocado para a Seleção Brasileira, meia Andreas recusou convite para defender a Bélgica
Pará registra crescimento de 35% em empregos formais para mulheres
Centroavante do Paysandu quer garantir liderança isolada em jogo contra o Castanhal
Tiago Leifert deixa canal esportivo após colega defender Daniel Alves
Eleições 2024: TSE publica regras sobre uso de Inteligência Artificial
Mais países pedem investigação sobre tragédia em Gaza
Maduro se reúne com Lula na Cúpula da Celac e diz que eleições na Venezuela estão garantidas
PM da reserva morre baleado na Zona Leste de São Paulo
Influenciador repercute na internet com versões paraenses de hits internacionais; assista
Next
Prev

Brasil registra 2.198 mortes por covid em 24h; com 74,8 mil novos casos da doença

Em meio à nova alta de novos casos, o Brasil registrou 2.198 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados compilados pelo consórcio de veículos de imprensa nesta terça-feira, 25. No índice acumulado, o País já soma 452.224 perdas e 16.195.981 casos confirmados desde o início da pandemia.

De acordo com o balanço, também foram notificados 74.845 novos diagnósticos da doença no último dia, indicando tendência de aumento desde a semana passada. A média móvel de diagnósticos, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, está 65.785, um aumento de 8% na comparação com 14 dias atrás.

As recentes subidas têm deixado médicos e pesquisadores apreensivos. Especialistas já vinham alertando que o pico ainda não tinha passado no Brasil, mas em muitos lugares optou-se pela flexibilização das regras de isolamento social. Em outros, governos endureceram as medidas.

Já a média de mortes continua em queda e chegou à marca de 1.835 nesta terça. O patamar, no entanto, é o mesmo de março, quando o País iniciou o período mais crítico da pandemia até aqui.

No ano passado, o Brasil demorou quase cinco meses para chegar aos primeiros 100 mil mortos e outros cinco meses para chegar aos 200 mil, marca que foi atingida já em 21 de janeiro. Nesta semana, cerca de quatro meses depois, as mortes mais do que dobraram e ultrapassaram a marca dos 450 mil.

Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h.

*Com Informações Notícias ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM