Últimas Notícias
Jovem é decapitada durante acidente de trânsito em Paragominas, sudeste paraense
Homem é preso suspeito de transportar entorpecentes dentro de rede, em Juruti
Tornado nos EUA mata cinco e devasta estado de Iowa
Petrobras: Comitê de Pessoas diz que Magda Chambriard preenche requisitos para comandar empresa
Em Belém, Alckmin anuncia que ‘Brasil será oitava economia do mundo até o fim de 2024’; assista
Entenda a diferença entre 1º e 2º turnos e o que leva uma eleição para 2º turno
Demapa investiga morte de 7 gatos por suposto envenenamento em Belém
Devotos lotam Paróquia em celebração de Santa Rita de Cássia no bairro de Canudos, em Belém; assista
Egito ameaça deixar de ser mediador de acordo para cessar-fogo em Gaza
Marido de cantora gospel brasileira é preso nos EUA por abuso sexual contra criança 
Com mudanças na defesa, Paysandu está escalado para a final da Copa Verde contra o Vila Nova-GO
Alepa aprova Projeto que altera o Programa Estadual de Transporte Escolar no Pará
Mortos pela chuva no RS chegam a 162, diz Defesa Civil
Paysandu faz 3 a 0 no Vila e encaminha tetra da Copa Verde; acompanhe
Ensaio da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos é adiada por causa da elevação do rio Sena
Next
Prev

Nova ‘rede de Trump’ acolhe bolsonaristas

"Foi lançada a GETTR, a nova rede social de Trump, e eu já estou lá. Mais uma rede em defesa da liberdade. Acesse, se inscreva e me siga". Foi assim que o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) convocou aliados para migrarem para a plataforma que agora acolhe bolsonaristas e extremistas barrados pelas principais plataformas por descumprimento das regras de conduta.

O GETTR, no entanto, não é mais um negócio de Trump. Ela foi lançada domingo (4) por Jason Miller, porta-voz do ex-presidente americano na campanha de 2016. Não é a primeira vez que bolsonaristas e militantes da extrema-direita fazem campanha de migração para plataformas que não restringem conteúdos. O Gab e o Parler já foram propagandeados por esses grupos no Brasil, recentemente. Entre as propostas da nova rede social estão "rejeitar a cultura do cancelamento" e não banir usuários por suas "opiniões políticas". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Informações Notícia ao Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM